Categorias
Featured Portuguese Latest Portuguese Portuguese Blog

O Burnout

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row” make_fullwidth=”on” use_custom_width=”off” width_unit=”on” use_custom_gutter=”off” padding_mobile=”off” allow_player_pause=”off” parallax=”off” parallax_method=”off” make_equal=”off” parallax_1=”off” parallax_method_1=”off” column_padding_mobile=”on”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Text” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

A Organização Mundial da Saúde classificou o stress como a « epidemia de saúde do século XXI », pois afeta cada vez mais pessoas.

Stress é por si só uma reação normal. É importante e necessário sentirmos algum grau de stress pois este pode ser positivo. No entanto, é importante fazer uma boa gestão do mesmo de forma a manter um bom estado de saúde mental e qualidade de vida.

Todos nós falamos em stress e já sentirmos uma situação de stress. Mas na verdade o que é?

Este pode ser definido como um desequilíbrio, real ou percebido, entre as exigências das circunstâncias em que nos encontramos e a nossa capacidade de adaptação às mesmas. Assim, vão desencadear-se um conjunto de mecanismos a nível fisiológico, psicológico e comportamental, que constituem os esforços de adaptação a tais exigências. Este é o Stress!

E o burnout nisto tudo, onde se enquadra?

O burnout, quanto a ele, define muitas vezes um estado de grande cansaço físico, mental e emocional, sendo que este é geralmente associado ao ambiente profissional.

Assim, o burnout reflete um desequilíbrio na relação entre um individuo e o seu trabalho. Deste modo, o burnout indica por norma um mau ajuste entre o individuo e o seu ambiente de trabalho, o que leva a um grande desgaste por parte do individuo.

Posto isto, é então importante falarmos sobre todas as tendências atuais disponíveis nas redes sociais para nos ajudar a melhorar a nossa qualidade de vida e reduzir a probabilidade de desenvolver um burnout.

Uma vez que o burnout se trata de um desequilíbrio na relação entre o individuo e o seu trabalho torna-se necessário perceber que, como em todas as relações, existem sempre dois lados e que ambos devem trabalhar para alcançar o mesmo.

Deste modo, é importante que individualmente trabalhem na vossa gestão de stress, bem-estar, aumento de felicidade e motivação, entre outros, mas é igualmente importante, por parte das empresas, fornecer a possibilidade de um maior equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, com horários mais flexíveis,  possibilitar um maior desenvolvimento profissional e condições de trabalho onde indivíduos se sentem valorizados e respeitados no ambiente de trabalho.

Será que é possível? Eu acredito que sim.

Assistimos hoje em dia , tanto por parte das empresas como dos indivíduos, a uma grande procura de programas de bem-estar e gestão de stress. Por isso, acredito que no futuro a nossa vida profissional será diferente e mais consciente!

No entanto, como não podemos controlar o nosso ambiente de trabalho, torna-se assim essencial continuar, ou iniciar, a desenvolver a uma rotina de bem-estar, de modo a nos sentirmos preparados para enfrentar fases com mais stress, tanto a nível profissional como pessoal.

Existem muitas coisas que podemos fazer e que estão totalmente ao nosso alcance. Assim, podemos ter rotinas de self-care, momentos de meditação, fazer exercício físico e ter uma alimentação saudável. Todos estes fatores, partindo do principio que se encontram num estado de saúde saudável, influenciam o nosso bem-estar.

Para além de viver um estilo de vida mais saudável, devemos ainda trabalhar no nosso desenvolvimento pessoal e cuidar da nossa saúde mental. Hoje en dia, numa sociedade em constante movimento é fundamental saber parar e conectar-nos com a pessoa mais importante das nossas vidas: nós próprios!

Acredito que ao trabalharmos na nossa saúde estamos mais protegidos contra desequilíbrios que venham a surgir e estaremos assim melhor preparados para lidar com os mesmos. No entanto, não posso deixar de reforçar que não existe nenhum método certo que vos vai livrar do stress! Tal como disse no inicio, este é uma reação normal e necessária nas nossas vidas!
O conselho que vos posso deixar é o seguinte:

Cuidem de vocês, do vosso corpo e da vossa mente. Estejam conectados com o vosso corpo de modo a prevenir um desequilíbrio repentino e saberem lidar melhor quando estão numa fase menos boa. Ao perceberem como funciona o vosso corpo e a vossa mente será ainda mais fácil identificar certos sintomas que podem indicar um burnout!

 ♥ Anita

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Categorias
Featured Portuguese Latest Portuguese Portuguese Blog Uncategorized

Importância do Equilíbrio Trabalho – Vida Pessoal

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row” make_fullwidth=”off” use_custom_width=”on” width_unit=”on” custom_width_px=”850px” use_custom_gutter=”off” padding_mobile=”off” allow_player_pause=”off” parallax=”off” parallax_method=”off” make_equal=”off” parallax_1=”off” parallax_method_1=”off” column_padding_mobile=”on”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Text” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

♥ Um dos temas que mais gosto e que, para mim, faz todo o sentido é o equilíbrio trabalho-vida pessoal. Para mim é fundamental sentir esse equilíbrio e desligar do trabalho! É ter tempo para mim e fazer aquilo que gosto (mesmo se gosto muito do meu trabalho) porque só assim consigo manter a minha sanidade mental.

Então, mas o que é isso do equilíbrio trabalho- vida pessoal? É muito simples e é exatamente o que o nome nos diz. É encontrarmos um equilíbrio entre o trabalho e a nossa vida pessoal, de forma a que um não interfira no outro. Desequilíbrios ao nível do trabalho – vida pessoal, tais como alto níveis de envolvimento no trabalho que conduzem a um aumento do stress ou ainda um numero excessivo de horas de trabalho levam a consequências tais como um mau estar fisiológico e psicológico. Assim, e dado a importância do tema, este tem sido cada vez mais estudado na literatura organizacional. Mas, a meu ver, ainda pouco posto em prática.

Assim, considero muito importante manter um bom equilíbrio trabalho – vida pessoal. Para mim, é fundamental ter tempo para cuidar de mim e fazer aquilo que gosto. Não só porque sabe bem, como existem inúmeros estudos nesta área que demonstram que um bom equilíbrio trabalho – vida pessoal leva, entre outros, a um melhor desempenho no trabalho.

E como podemos fazer isso? Bem, eu gosto muito de rotinas e são essenciais no meu dia a dia. Criar rotinas permite-nos não só garantir que o nosso tempo esteja melhor organizado, como permite ainda melhorar a nossa qualidade de vida.

A mim permite-me criar momentos diários onde cuido de mim, tal como meditar pela manhã, assim como me permite criar tempo para estar em casa e fazer algo de que gosto antes de ir trabalhar ou ao final do dia. Permite-me ainda estar organizada de forma a poupar-me tempo durante a semana e assim ganhar tempo de descanso e lazer.

→ Mas atenção, com isto, não quero dizer que todas a semanas e todos os dias são perfeitos e que podemos alcançar um equilíbrio trabalho – vida pessoal todos os dias. Perfeição não existe e como tal existem sempre dias e semanas mais complicados. Faz parte da vida e é importante sabermos que vão sempre existir momentos de mais stress e fases mais complicadas onde talvez iremos sentir-nos em desequilibrio. No entanto, continua a ser importante trabalharmos para alcançar maioritariamente semanas onde sintimos um maior equilíbrio trabalho – vida pessoal de modo a não prolongar esse tal desequilibrio e levar, a longo prazo, aum mau estar geral.

O mais importante é assim conseguir desligar do trabalho. O trabalho fica no trabalho! Sim, mesmo se trabalhas desde casa. Acredita que é possível. Sei que por vezes é dificil e continuamos a pensar na tal situação que ainda está por resolver. Mas, na verdade há sempre algo por terminar.

Desta forma, quero partilhar contigo algumas  atividades que geralmente estão relacionadas com um aumento da qualidade de vida e que nos permitem sentir um melhor equilíbrio no tempo que temos fora do trabalho! Estas são atividades como:

  • Prática de uma atividade física regular: Penso que já não é segredo nenhum os inúmeros benefícios que a prática de uma atividade física tem, não só para o nosso bem estar físico mas também psicológico.
  • Meditar: Tal como já falei num outro post, a meditação e o mindfulness podem ser ferramentas incríveis e que te vão certamente ajudar a manter esse equilíbrio! Mas atenção, a meditação pode não ser para todos! Se estás a sentir-te com muita ansiedade, consulta em primeiro com um profissional de saúde adequado!
  • Cuidar de ti: Tira tempo para ti e faz aquilo que mais gostas. Seja um hobbie especial ou simplesmente uma noite por semana de self-care, o importante é cuidar de ti e desligar do teu dia/semana de trabalho! Quem mais dedica uma noite por semana para máscaras e Netflix?
  • Tempo com a familia e amigos: Ter tempo de qualidade com a nossa familia e amigos é essencial. Este deveria ser um tempo de conexão com os outros e de partilha.Somos seres sociais e sentirmo-nos parte de algo é importante.

E tu, o que fazes para alcançar um maior equilíbrio trabalho vida – pessoal? É algo que consegues?

♥ Anita

[/et_pb_text][et_pb_comments admin_label=”Comments” show_avatar=”on” show_reply=”on” show_count=”off” background_layout=”light” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid” custom_button=”off” button_border_radius=”0″ button_letter_spacing=”0″ button_use_icon=”default” button_icon_placement=”right” button_on_hover=”on” button_border_radius_hover=”0″ button_letter_spacing_hover=”0″]
[/et_pb_comments][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Categorias
Featured Portuguese Latest Portuguese Portuguese Blog Uncategorized

Porque é que o autodesenvolvimento começa com amor próprio

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row” make_fullwidth=”off” use_custom_width=”on” width_unit=”on” custom_width_px=”850px” use_custom_gutter=”off” padding_mobile=”off” allow_player_pause=”off” parallax=”off” parallax_method=”off” make_equal=”off” parallax_1=”off” parallax_method_1=”off” column_padding_mobile=”on”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Text” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

♥ O amor próprio e o autodesenvolvimento são definitivamente dois temas pelos quais sou apaixonada. Não estou aqui a dizer que sou uma pró nesses temas e que os domino na minha vida, porque isso também está longe da verdade, mas, é algo no qual estou sempre a trabalhar e no qual pretendo sempre ser melhor. Então, em primeiro é importante mencionar a diferença entre os dois. Para começar, vamos ainda falar de dois conceitos distintos pois muitas pessoas parecem confundir os conceitos de amor próprio e cuidado pessoal (self-love e self-care). Não me interpretem mal, é muito bem termos uma prática de cuidados pessoais, e irei definitivamente escrever um post sobre os meus, mas estes dois conceitos são realmente diferentes! Eu diria que os cuidados pessoas são uma forma de amor próprio, mas não é a essência do mesmo.

Amor-próprio é sobre amarmos quem realmente somos e aceitar aquilo que somos. É conhecer-nos a nós próprios, olhar por baixo da superfície e ir fundo. O amor-próprio é um estado de apreciação por nós próprios que cresce dentro de nós e que suporta o nosso crescimento a nível físico, psicológico e espiritual. É sobre sentirmo-nos felizes e aceitarmo-nos. É algo profundo e não é algo que podemos ajeitar com uma tarde de mimos a beber um café.

Cuidados pessoais, por outro lado, é acerca de pequenos rituais que temos para nos fazer sentir melhor no final de um longo dia. É mais acerca de cuidar de si, como tomar um bom banho cheio de espuma ou nutrir o nosso corpo com os melhores alimentos. Como disse anteriormente, considero os cuidados pessoais uma forma de amor-próprio porque podemos escolher fazê-lo e demonstrar amor por nós ou podemos simplesmente não o fazer ou sentir que não o merecemos (sendo que isto já levante outras questões). Por exemplo, podemos escolher comer os melhores alimentos para nutrir o nosso corpo, aqueles que sabemos que fazem bem e que nos tornam saudáveis ou, podemos comer fast food todos os dias sabendo que nos faz mal.

Já perceberam até onde quero chegar? É necessário amar-se a si mesmo em primeiro antes de poder realmente considerar algum tipo de autodesenvolvimento. Porquê? Porque o autodesenvolvimento requer vários níveis. Com isto dito, apenas conseguimos fazer as mudanças necessárias nas nossas vidas se estas advêm de amor e aceitação! Se te conheceres a ti próprio, as tuas forças e as teus maus hábitos, será muito mais fácil embarcar numa aventura de autodesenvolvimento pois estarás a fazê-lo pelas boas razões. E há tantas formas de o fazer! Uma das minhas favoritas é o mindfulness. Não só permite-te estar mais presente, mas também é uma ótima forma de treinar a aceitação do que está a acontecer. É realmente magico!

Aqui vai um exemplo. A maioria das pessoas que têm algum peso a mais querem perde-lo, certo? No entanto, a maioria das pessoas que querem perder peso vão começar por fazer dietas nas quais se vão privar de comer ou iniciar um programa de treino intenso na esperança de se sentirem ou parecerem de certa forma. E todas nós lá estivermos! Mas, a verdade é que não funciona porque não estão a fazê-lo pelas boas razões. De facto, se treinássemos a nossa mente em primeiro de forma a nos aceitar e a amar-nos na nossa integra, iremos ter vontade de dar ao nosso corpo o exercício que merece e os alimentos de que precisa, aqueles que nos dão vida. Estão a perceber? O amor próprio é sobre dar ao nosso corpo a gasolina que precisa, não o restringir. É sobre fazer exercício da forma correta, não exagerar. É sobre aceitação e esta leva ao autodesenvolvimento.

Vês, tudo é melhor quando parte do amor. E o melhor presente que te podes dar é esse mesmo ♥

Se queres ler mais acerca destes tópicos, podes encontrar um outro post aqui de um dos meus post favoritos acerca de autoconfiança. Nesse post podes ainda encontrar um Workbook gratuito para te ajudar a responder a algumas perguntas poderosas!

Diz-me ainda se, como eu, pensas que o autodesenvolvimento advém do amor próprio e quais as tuas práticas de cuidados pessoas!

Muito amor,

Anita ♥

[/et_pb_text][et_pb_comments admin_label=”Comments” show_avatar=”on” show_reply=”on” show_count=”off” background_layout=”light” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid” custom_button=”off” button_border_radius=”0″ button_letter_spacing=”0″ button_use_icon=”default” button_icon_placement=”right” button_on_hover=”on” button_border_radius_hover=”0″ button_letter_spacing_hover=”0″]
[/et_pb_comments][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]